quinta-feira, 25 de julho de 2013

A vida é uma escol(H)a (decidir sempre...)

É comum ouvirmos a seguinte frase "não estou pronto para isso". Já dizia a velha frase "a vida é uma escola". Ninguém está pronto para tomar decisão alguma, quando isto implica em novidade. Tão pouco se está pronto para encarar situações de dor quando estas vêm sem avisar. Ninguém está pronto para nascer, pronto para caminhar, andar de bicicleta, namorar, casar, separar, morrer ou ver alguém morrer. Há coisas na vida (e muitas coisas) que não se vem com manual e não tem como aprender teoria sobre o assunto. Eu gostaria de incluir uma letra na velha frase que citei acima. Incluirei a letra que não tem som, mas que fará toda a diferença: A vida é uma escolHa.

Para se estar pronto para determinadas situações, somente passando por elas. Não dá para exigir de nós o acertar sempre e tão pouco confiar que as coisas sempre darão certo. Entretanto, ou se vive estas mesmas situações, ou permaneceremos como estamos. E dilemas só existem quando algo não satisfaz. Quando as duas opções produzem medo: se correr o bicho pega e se ficar o bicho come. Algo deve ser feito, pois não fazer nada é já fazer alguma coisa.

Alguns acham realmente que é possível "deixar a vida me levar". Não, não é possível. Tudo que sofremos é fruto de escolhas nossas (diretas ou indiretas), escolhas dos outros, ou a maldita aleatoriedade que chamamos de "acaso". Mas mesmo diante dos dilemas que as escolhas alheias e o acaso nos proporcionam, somos obrigados a escolher. Já dizia Sartre "o ser humano é condenado a ser livre". E ele mesmo diz "não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você fez com o que fizeram com você". Somos condenados a escolhas e a, principalmente, assumirmos que devemos ser autênticos diante das consequências de tais escolhas.

Diante disto, sinto informar, não estamos prontos. Não estamos prontos para aquele adeus, não estamos prontos para aquele fim, não estamos prontos para aquele recomeço, não estamos prontos para nada. Já dizia o poeta "é caminhando que se faz o caminho". Não sabemos aonde ir. Não sabemos onde vamos chegar. O máximo que podemos é querer chegar. Se vamos, somente as nossas decisões diante dos dilemas que serão produzidos poderão dizer.

O tempo? Nada faz. O tempo não é amigo de nada. O tempo não diz nada. O tempo se quer existe. Não responsabilize o tempo, Deus, o demônio, ou qualquer outra pessoa. Nós e unicamente nós, somos responsáveis.

Diante de tanta incerteza e de tamanha responsabilidade, cabe-nos apenas uma coisa: decidir. Respirar fundo e decidir. Respirar fundo e mergulhar no mar da incerteza. Mas só fazemos isso quando o que estamos vivendo não nos oferece segurança e tão pouco, nos dá o que precisamos. Só mergulhamos na novidade quando temos, principalmente, fé em nós mesmos. 

A vida é uma escolha e uma escola. Viva de tal forma para que, no fim da vida, você não diga:

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário