terça-feira, 7 de agosto de 2012

Sobre Filhos e Cães (Mateus 15:21-28)

Normalmente sou levado a utilizar os textos de Marcos, por gostar mais dele e por ser o primeiro escrito. Entretanto, acho interessante as adições feitas por Mateus nesse episódio. A história é bem conhecida. Porém, muito já ouvi sobre essa narrativa e, por conta de tudo que já ouvi, acho que convém dar meu parecer sobre o texto.

Primeiramente vamos nos ater ao contexto. Lembrando que, sobre o contexto, vale ressaltar que existe o contexto literário (em que lugar da obra de Mateus está situado o texto) e o contexto do autor (de que lugar e época provêm o texto e a quem é dirigido). Isso nos coloca diante de alguns problemas que precisam ser resolvidos.

Mateus escreve em um período onde existe uma forte disputa com os fariseus. Isto porque, depois da guerra judaica (64-70 dc), os dois "judaísmos" (cristãos e fariseus) lutam para reorganizar a fé judaica abalada por conta da destruição do templo e de Jerusalém. Uma tribulação que "enganou" alguns judeus-não-cristãos e judeu-cristãos. O primeiro grupo esperava o momento messiânico e o segundo o retorno de Jesus. O evangelho de Marcos resolveu o problema dos cristãos e os fariseus lutavam para resolver o problema dos outros.

Nessa disputa judaica, Mateus reedita o evangelho de Marcos. Ampliando e acrescentando fatos que apontam o nível dessa disputa. Dando a Cristo a primazia e um título subjetivo de verdadeiro intérprete das Torah. E em uma de suas interpretações (de Mateus), ele recolhe esse episódio de Marcos e demonstra sua visão de que a salvação em Cristo é Universal e não limitada a Israel. Para chegar nessa conclusão, na controvérsia com os fariseus, Mateus já introduz esse ensinamento (E no seu nome os gentios esperarão. Mateus 12:21). Mas, neste episódio, Jesus ainda não enxergava isso. A visão limitada a Israel era ensinada por Jesus a seus discípulos na sua primeira comissão: 

"E, chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal. (...) Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos;
Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel;
E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. 
Mateus 10:1-7"

Jesus envia seus discípulos somente "às ovelhas perdidas de Israel". Para aqueles que julgam que esse era um pensamento temporal e que Jesus já se imaginava indo aos gentios, o episódio dessa reflexão diz outra coisa: 

"Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. 
Mateus 15:24"

Para Jesus entender o amor do Pai foi preciso o amor de uma mãe. Uma mulher que ama sua filha demonstra para Jesus o amor do Pai. Seus discípulos compartilham da mesma opinião que Jesus, mas chegam a pedir que o Mestre, pelo menos, diga que não irá atendê-la, pois Jesus nem respondia. Mas a mulher diz:

"Senhor, socorre-me! Mateus 15:25"

Sua dor não comove Jesus. Pelo contrário, em uma parábola ele deixa claro que, diante da salvação oferecida, ela não fazia parte do povo eleito. Se o mundo todo fosse uma família, ela seria um cão e os judeus os filhos. No momento (em que Jesus estava) os filhos mereciam atenção e precisavam ser "alimentados".

Aquela mulher devia ter ouvido algo sobre Jesus. Alguma coisa lhe deu esperança, mas, no lugar, recebeu uma palavra dura. O amor por sua filha faz com que devolva, ao Mestre das parábolas, outra. Assumiu, no olhar de Jesus, seu papel de cão. E suplicou comer das migalhas que os filhos deixavam cair da mesa. De tudo aquilo que era oferecido aos judeus (e eles negavam), ela queria apenas as migalhas. O que importava a ela não era ter a primazia ou a igualdade, apenas a libertação de sua filha.

"Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores. 
Mateus 15:27"

Jesus não teve outra coisa a fazer diante daquela declaração:

"Então respondeu Jesus, e disse-lhe: O mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã. 
Mateus 15:28"

Aquela mulher ensinou algo a Jesus. O Mestre teve sua aula. Ele compreendeu que a missão do Messias era Universal. E compreendeu bem, segundo Mateus que, na definitiva missão dos apóstolos, faz seu Jesus declarar:

"Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. 
Mateus 28:19-20"

Por conta daquela mulher, Jesus passa a entender que Deus é o Deus de todos os povos. Ensinamento esse que os profetas judeus já possuíam -  que nos diga Amós!. E que muitos judeus de ontem e hoje compreendem da mesma forma. Entretanto, para o Messias, isso ainda não estava claro.

Não existem cães! O que há é um mundo de filhos. Um mundo de ovelhas perdidas. Mateus ensina para seus irmãos que a justiça de Deus não vê apenas os judeus que perderam seu lugar de culto e sua casa. Mas todos os povos que, de alguma forma, estão perdidos e necessitados. O Messias enviou seus discípulos a todos os povos.

Deus é o Deus da libertação de todos os povos. Deus é o Deus de todos os sofridos, injustiçados e oprimidos. Deus é o Deus dos necessitados, não importando cor, raça, credo, cultura ou sangue. Se mesmo Jesus pôde aprender isso, por que ainda pregar um Deus partidário? Libertemos nossa mente para compreendermos o Deus de Jesus. O Deus de todos! Não há cães! Há filhos com fome! E ele diz: "dai-lhes vós de comer." (Mateus 14:16).

27 comentários:

  1. Este é um dos textos que me intrigam na bíblia, e por isso um dos meus preferidos. Gosto da ousadia da mulher, qnd o chama de Filho de Davi, um tratamento exclusivo entre os judeus e jesus sabia da origem dela, e por alguns instantes eles podemos observar o 'toma lá dá cá' entre os dois, e identificar isso na palavra é pra mim uma riqueza, ela reconhece não fazer parte, mas tbm não desiste, e como vc bem disse em seu texto Jesus aprende a universalidade de Deus. E isso é encantador. Obrigada mais uma vez por compartilhar suas ideias conosco, são sempre palavras de esperança, assim como deve ser o Evangelho. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, Jesus, aproveitou a situação para dar-nos uma nova lição, aliás ele sempre aproveitava as oportunidades para passar seus ensinamentos...e naquela ocasião demostrou o poder da fé, da humildade e da força de vontade em se buscar uma benção ou acréscimo de misericórdia, Jesus ensinou...nós espiritos cegos e ignorantes é que precisamos aprender a verdadeira lição...o amor lava a mulditão dos pecados...a ainda assim insistimos em não os limpar...preferindo a sujeira do mundo material...

    ResponderExcluir
  3. cara, primeiro ponto, Jesus é Deus, portanto sua visão não estava "limitada", ele sempre soube da sua morte redentora do MUNDO e não só dos judeus. Seu ministério em israel era para que se cumprisse a profecia de isaias de que ele seria rejeitado pelos seus.

    segundo, o evangelho de Marcos foi o primeiro e o de Mateus foi uma compilação de Marcos é algo controverso, não se tem certeza disto, visto que o evangelho de Mateus é o único que fora escrito em aramaico, portanto o problema sinótico está longe de ter sido resolvido.

    portanto acho que um pouquinho de estudo pode te ajudar um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo e respeito sua opinião. Tanto no que diz respeito à sua Cristologia altíssima, quanto sua informação sobre a "questão sinótica". Bom seria ter uma boa conversa e debate sobre o assunto. As muitas opiniões nos permitem a oportunidade de crescimento. Seja bem-vindo ao blog.

      Excluir
  4. Por acidente vim parar aqui para ler esse vomito de pensamento. Jesus tinha visão limitada? "para Jesus entender o amor do pai" Jesus em algum momento não compreendia o pai ? Ele mesmo afirma "Eu e o Pai somos um" Jo 10:30
    Esse é o mal da socialização digital, cada um que fermenta suas heresias, banalidades e ignorância e postam na internet. Cada um que se segure na bíblia, porque a coisa ta feia. Para o autor do texto eu deixo Pv 17:28

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para o autor do comentário, eu deixo meu agradecimento. Ao lado há um Menu com outros sabores de "vômitos". Fique à vontade e seja bem vindo.

      Excluir
  5. Viajou na maionese e pirou da batatinha. Não posso escolher outras palavras que melhor decifrem o que li acima. Utopia é achar que loucuras como essa vem de uma mente normal. Li o mesmo texto que você e li o restante da bíblia para entender que Jesus somente queria provar a fé daquela mulher, como assim o disse no final do texto. Ainda, dizer que Jesus ainda não entendia o seu propósito no mundo é, no mínimo, bobeira! Lembre-se: texto fora de contexto é pretexto para heresia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por sua colaboração. Fique à vontade para viajar ou pirar sempre que quiser.

      Excluir
  6. Eu achei o texto interessante, apesar de discordar de algumas partes, acredito que não foi a mulher que ensinou Jesus,na verdade Jesus não negava a cura para as pessoas, nem para mulher adultera ele o fez. Ali ele quis testar a fé dos discípulos e mostrar pra eles o quanto a fé da cananeia era grande Ele ja sabia que ia cura-la. Ele ja tinha decidido, mas precisava ensinar duas lições, uma pra mulher e outra para os apóstolos para a mulher que tinha deixado a filha em casa, aos cuidados de algum estranho que ela precisava mudar de vida,amar sua filha sentar-se a mesa com ela, e aos apóstolos que ficariam depois pregando evangelho que não deveriam ter preconceitos. Ele veio pra todos e Ele sabia disso. Deus abençõe voces.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado e esteja sempre à vontade para dar sua opinião. Todo ponto de vista dado, de forma educada e cordial, é bem vindo.

      Excluir
    2. Eu não tenho uma conta de email no Google, por isso não me identifiquei acima, acredito que junto é possível construir um estudo um conhecimento bíblico mais profundo, muitas palavras terão interpretações diferentes. E opiniões diferentes geram conhecimento.

      Excluir
    3. Não há problemas quanto ao anonimato. Acredito que todos têm o direito de opinar e, se quiser, manter-se anônimo. Por isso permiti isso na configuração do blog.

      Quanto à sua opinião, como o texto mesmo diz, não concordo, embora a conheça bem. Acredito que um debate sobre isso seja o caminho ideal. Não para convencimento. Não há porque colonizarmos a mente do outro, querendo impor nossa interpretação. Como vc mesmo disse: "interpretações diferentes". O caminho do crescimento está, justamente, no encontro com o diferente.

      Excluir
  7. SE ALGUM INCREDULO DEPARAR COM TAL SITUACAO OU DISCUSÃO AO INVES DE ESCLARECIMENTOS SERAO PERVERTIDOS OU SEJA: SE OS "CRENTES" SE ESBOFETEIAM ASSIM OQUE DIRA OS PERDIDOS. OREMOS O DIABO ESTA SOLTO MELHOR E GANHA ALMAS PARA CRISTO DO QUE QUESTOS LOUCAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos são livres para opinar da forma que acharem melhor. Infelizmente, para alguns, a melhor forma de argumentar é desqualificar a opinião alheia. O que comprova falta de argumento.

      Não me senti esbofeteado e, tão pouco, "bati" em alguém. Respeito opiniões diferentes.

      Excluir
  8. Lamentável a grosseria de algumas pessoas. Chamar um trabalho de outra pessoas de vômito é algo que me parece entristecer o Pai Eterno. Continue seu trabalho "brother" Silvio! Vc escreve bem, tem humildade e está aberto ao aprender! Cresçamos juntos no Senhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marcos. Algumas pessoas precisam atacar pra se sentirem defendendo algo. Faz parte, a gente segue caminhando, apesar disso. :)

      Excluir
  9. NÃO CONCORDO
    VEJO QUE JESUS ENSINAVA SEUS DICIPULOS
    ESPERANDO UMA REAÇÃO
    JESUS NÃO ESTAVA APRENDENDO ELE ESTAVA ENSINANDO
    A SUAS PALAVRAS E REAÇÃO IA DIRETAMENTE AOS DICIPULOS
    ELES APREDERAM QUE JESUS ATRAVESARIA OS LIMITES DE ISRAEL PARA SALVAR TODA HUMANIDADE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom é que podemos sempre concordar ou discordar e, assim, ocorrer um crescimento verdadeiro para ambos.

      Excluir
  10. Gostei muito do seu texto. Se é tecnicamente correto ou não eu não sei. Não conheço a Bíblia tão bem mas o texto me tocou exatamente onde precisava. Me esclareceu sobre algo que me incomodava muito hoje. Foi a resposta perfeita para uma decisão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Simone.
      Certo ou errado sempre será ponto de vista. Mas aquilo que fala o seu coração, é o que importa. Fico muito feliz que tenha ajudado de alguma forma.

      Excluir
  11. O confronto nos faz crescer e nos leva a uma busca constante da leitura bíblica. Li seu texto e gostei, apesar de também discordar da questão da limitação de Jesus, embora "o verbo se fez carne" era Deus também, logo o plano da salvação estava arquitetado pela trindade. Mas uma coisa eu destaco, o coração de uma mãe move o de Deus. Obrigada por compartilhar seus textos! Para mim, é mais edificante até mostrar meu ponto de vista do que ofender o dos outros, ser cristão não é isso, ser cristão exige amor, se fizermos a nossa discordância com amor, não seremos como um metal de retine. Abraço fraterno!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo o que disse. Obviamente, menos com a questão da cristologia bastante elevada. E eu que agradeço pelo seu comentário fraterno. Paz e que Deus continue sendo um elo mais entre nós. Mas um elo mais forte do que nossas opiniões.

      Excluir
  12. Eu gostei muito do seu estudo e aprendi bastante com o mesmo, infelizmente ainda temos irmãos que não sabem respeitar a opinião dos outros, não está sendo imposto nada no texto e absorve tudo quem quer, o autor não está obrigando nada a ninguém. as pessoas esquecem que somos um corpo e se eu ataco o meu irmão e estou me atacando e deixo de fazer algo dito na palavra de Deus que é amar o seu próximo a sí mesmo. Algumas pessoas precisam atacar pra se sentirem defendendo algo. Mais é assim que as pessoas sem respeito ao próximo são. mais e uma vez parabéns para o autor pela dedicação do tempo e das ricas informações no texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pelas suas palavras e sinta-se muito bem vindo. Algumas pessoas têm dificuldade de entender que suas visões são apenas uma dentre várias. Mas, a gente segue caminhando ciente de q sempre há mais a aprender do q temos aprendido.

      Excluir