segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Livre-Arbítrio, entendo o termo

Ouço tanto falarem de "livre-arbítrio" que veio o desejo de escrever sobre o assunto. Isto, na realidade, pelo simples fato de que sempre o vejo citado de forma errada.

Comumente chamam "livre-arbítrio" a liberdade que o ser humano tem. Dizem, por exemplo: Adão e Eva pecaram por causa do livre-arbítrio. Há, inclusive, quem justifique a existência do livre-arbítrio na Bíblia. Expressão essa JAMAIS encontrada nas linhas das Escrituras.

Por não estar lá, seria "anti-bíblica"? Eu diria é uma expressão "não-bíblica", pois não está na Bíblia. Mas pode ser um ensino "bíblico", se interpretarmos a "nova criatura", de Paulo, dessa forma.

O que tem a "nova criatura" com o  "livre-arbítrio"? Antes de mais nada vale reassaltar que o "livre-arbítrio", para mim, está naquela ponte da dúvida entre filosofia e teologia (eu considero essencialmente filosofia). Vamos direto ao ponto!

Livre-arbítrio não é liberdade!! Então que tal pararmos de usar essa expressão com esse significado? Alguém devolveria: "como assim não é? Quem disse isso?" Minha resposta: não é porque não é, porque se fosse, seria. Quem disse? A pessoa que INVENTOU esse termo: Santo Agostinho!

Eu fico tão feliz quando vejo algumas igrejas evangélicas - que se dizem "não-ecumênicas" - usarem termos que nasceram na igreja católica, como se fossem seus. Mas deixando esse meu lado "zombador" , vamos à explicação.

Agostinho quando CRIOU esse termo, ele não falava de liberdade. Pelo contrário, para ele, quando alguém peca, ou quando alguém comete um erro, tem sua vontade cativa. Essa vontade presa procura alimentar-se do mal. Somente a decisão por se aproximar de Deus faz com que o homem goze do "livre-arbítrio", que quer dizer liberdade da vontade. O "libre-arbítrio" é a decisão do homem de fazer o bem. A decisão por se afastar de Deus, não vem do "livre-arbítrio", mas de uma vontade escravizada e cativa. Em outras palavras "livre-arbítrio" quer dizer "vontade livre que decide direcionar-se para o bem". Se entre fazer o bem e o mal, o mal não te parece atraente, então, sua vontade está livre e você está fazendo uso do "livre-arbítrio". Do contrário, sua vontade está presa ao mal, e, por isso, você não possui, ou melhor, se afastou do "livre-arbítrio".

Qualquer um pode encher de comentários discordando disso e daquilo, mas, infelizmente, são palavras do criador do termo. É uma invenção de Santo Agostinho, se está certa ou errada, para mim, pouco importa. O que importa é que não se deve usar a expressão em outro sentido, senão, liberdade da vontade.

Então, nada de se perguntar: livre-arbítrio ou predestinação? Uma coisa nada tem a ver com a outra. O correto seria: liberdade ou predestinação?

Um texto, simples, nada demais, apenas uma breve explicação.

7 comentários:

  1. Bom texto, mas ainda parece que "liberdade" não é o termo certo...
    Até porque o questão da predestinação é devido a "onisciência" de Javé, e sem analisar esse ponto não dá para fazer uma conclusão.

    Mas o "livre-arbitrio" parece mais a "dualidade de escolha" represantando dois caminhos a se seguir.

    ResponderExcluir
  2. O Termo correto seria somente o Arbítrio somente, porque aquilo que é dependente, não pode ser Livre. Todas nossas escolhas e decisões, dependem de fatores exógenos, endógenos e anteriores. Portanto dependente sempre ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como dito, de fato, a questão é mais filosófica do que teológica. Concordo com sua pontuação.

      Excluir
  3. Crescemos ouvindo e aprendendo sobre livre-arbítrio......Que o homem escolhe adorar outros deuses porque tem o livre-arbítrio. Esse termo não é encontrado na Bíblia! Quando Deus criou o homem, deu-lhe uma ORDEM, não perguntou se o homem queria isso ou aquilo, apenas ordenou, deu mandamentos. Ah! então Deus é manipulador? NÃO. Apenas é onisciente, conhece cada coração, sabe os desígnios de cada um. Conhece passado, presente e futuro. Criou o homem para louvor da sua glória! Agora, o homem na sua prepotência acha que pode escolher.....O diabo, na sua astúcia "trocou" a palavra DESOBEDIÊNCIA por LIBRE-ARBÍTRIO!!! O pecado da desobediência virou livre-arbítrio e ponto final.

    ResponderExcluir
  4. Entre Agostinho e a palavra de Deus fico com a palavra de Deus que em Gênesis 2:15 16 17 Deus dá uma ordem sim ou não.o homem é livre para escolher o que é certo ou errado, Deus não fez robôs ele fez seres humanos com o livre arbítrio com o poder dá escolha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc pode ficar com quem quiser. Mas "livre arbítrio" nao é um termo bíblico. Foi criado pelo Agostinho. Se ele que criou, ele que sabe o que significa. Trata-se de um texto informativo e nao doutrinário.

      Se acredita na liberdade de escolha humana ou na predestinação, nada muda para o que se quis dizer: livre arbítrio não é liberdade de escolha e não é uma doutrina bíblica. É uma doutrina agostiniana. Se você acredita na liberdade plena, então você não crê no livre arbítrio. Simples assim.

      Excluir