terça-feira, 27 de setembro de 2011

Quando a Jovem vira Virgem...

Um texto muito conhecido pelo cristianismo é o chamado "anúncio do Emanuel". Um texto do proto-isaías que narra o nascimento de uma criança que deveria ter o nome de Imanu el, quer quer dizer "Deus conosco". Mateus, tomou esse texto e o aplicou a Jesus (e não a Maria):

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;
Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. (Mt 1:18-23)"


Contudo, ao analisarmos de forma mais atenta a profecia de Isaías, veremos que seria impossível que ele estivesse falando do nascimento do messias e, muito menos, de um nascimento virginal.

Olhemos, então, o texto de Isaías capítulo 7:

Logo o primeiro versículo diz:

"No tempo de Acaz, filho de Joatão, filho de Ozias, rei de Judá, Rasin, rei de Arão, foi com Pecá, filho de Romelia, rei de Israel, contra Jerusalém para lhe dar combate; mas não pôde apoderar-se dela. ."

Primeira coisa que está clara é o momento em que se situa o episódio. Rasin, rei da Síria e Pecá, rei de Israel (reino do norte) estão se ajuntando para ir contra Jerusalém. O resultado dessa aliança contra o reino de Judá (reino do Sul) Isaías afirma ser o medo. Medo por parte de Acaz e medo por parte do povo:

"Quando se soube, na casa de Davi, que {o exército da} Síria estava acampado em Efraim, o coração do rei e o de seu povo ficaram perturbados como as árvores das florestas agitadas pelos ventos."

Acaz e o povo temem esse levante. Não conseguem esperar salvação e vitória nessa batalha que se inicia. Isaías é enviado por Javé a Acaz para confortá-lo e reanimá-lo:

"E dize-lhe: Tem ânimo, não temas, não vacile o teu coração diante desses dois pedaços de tições fumegantes. {Diante do furor de Rasin, da Síria, e do filho de Romelia}.
Vamos contra Judá, nós o bateremos, e nos apoderaremos dele, e proclamaremos rei o filho de Tabeel.
Eis o que disse o Senhor Javé: Isso não acontecerá, essas coisas não se realizarão,
porque a capital da Síria é Damasco, e a cabeça de Damasco é Rasin. {Dentro de sessenta e cinco anos Efraim desaparecerá do rol dos povos.}
E a capital de Efraim é Samaria, e a cabeça de Samaria é o filho de Romelia. Se não o crerdes, não subsistireis. "


E agora aparece o nosso texto. Isaías diz para Acaz pedir um sinal de Deus de que a salvação viria:

"O Senhor disse ainda a Acaz:
Pede ao Senhor teu Deus um sinal, seja do fundo da habitação dos mortos, seja lá do alto.
Acaz respondeu: De maneira alguma! Não quero pôr o Senhor à prova.
Isaías respondeu: Ouvi, casa de Davi: Não vos basta fatigar a paciência dos homens? Pretendeis cansar também o meu Deus?
Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco.
Ele será nutrido com manteiga e mel até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem.
Porque antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra, cujos dois reis tu temes, será devastada.
O Senhor fará vir sobre ti, sobre teu povo e sobre a casa de teu pai, dias tais como não houve desde que Efraim se separou de Judá {o rei dos assírios}. "


O texto é claro! O sinal que Acaz deve ver é de que a "virgem" daria á luz e antes do filho dela conseguir discernir entre o bem e o mal (ou seja já terá nascido) as duas terras que se levantam contra Judá estará devastada.

A profecia de Isaías está focada com o tempo em que o profeta está vivo. Ele nao tenta consolar o rei com uma promessa séculos após o episódio da guerra siro-efraimita. É preciso levantar o ânimo de Acaz, é preciso renovar sua confiança de que a linhagem de Davi não perecerá (a virgem dará a luz a um descendente de Davi).

Nosso grande problema se encontra exatamente na expressão: virgem!

Vamos dar uma olhada no texto original:

לָכֵן יִתֵּן אֲדֹנָי הוּא לָכֶם אֹות הִנֵּה הָעַלְמָה הָרָה וְיֹלֶדֶת בֵּן וְקָרָאת שְׁמֹו עִמָּנוּ אֵֽל׃

 Isaías usa o termo עַלְמָה('alma) cuja tradução literal seria "jovem mulher" e não virgem, que é   בְּתוּלָה (bethulah). Temos então um grave problema de tradução. Como a "jovem mulher" (que poderia ser casada) transformou-se na "virgem"? De onde surgiu isso?

No período do império grego, a diáspora (judeus que moram fora de Canaã) acabou gerando judeus que não falavam mais o hebraico. Com isso, nas sinagogas dificultava bastante a leitura dos textos da bíblia hebraica. Portanto, buscando resolver esse problema, foi feita uma tradução da bíblia hebraica para o idioma grego. Essa versão foi inicialmente chamada de Septuaginta, hoje, simplesmente LXX (setenta). Isso em alusão a uma lenda que dizia que 70 anciãos fizeram essa tradução.

Na versão grega do texto bíblico de Isaías criou-se um problema. A palavra עַלְמָה('alma) foi traduzida por παρθένος (parthénos) que quer dizer "virgem".  A bíblia dos autores do Novo Testamento, já é de comum acordo, tratava-se da LXX e não da bíblia hebraica. A frase "o justo viverá da sua fé", é outra comprovação disso, já que, na bíblia hebraica, a expressão correta é "o justo viverá por sua fidelidade".

Esses erros de tradução fizeram com que Mateus  aplicar ao tema do nascimento virginal, o texto de Isaías, que, na realidade disse:

Eis que a jovem está grávida e dará a luz a um menino.

Esse menino, essa criança que, simbolicamente, recebe o nome de Emanuel, é o sinal de Deus de que a dinastia davídica não iria acabar com o ataque do rei de Aram e do rei de Israel.

O rebento é o rei Ezequeias, filho de Acaz. Portanto, a jovem é a esposa de Acaz e o menino em gestação é Ezequias. Isaías está dizendo o seguinte: a menina grávida é o sinal que Deus está te mostrando, Acaz, de que a casa de seu pai não morrerá. Se você crê, a história do reino de Judá continuará, e o menino reinará em seu lugar.

Um dos textos de Isaías reconhecido como messiânico, na realidade não o é. É uma mensagem de consolo ao rei Acaz. A jovem não era virgem e o Emanuel não é Jesus (originalmente falando). Óbvio que Mateus, fazendo uso da versão dos LXX, nos diz o contrário. E podemos sim, de fato, reconhecer que Cristo é o Deus Conosco. Cristo é o verdadeiro Emanuel. Mas o Emanuel original é Ezequias.

Se naquele tempo a tradução já gerava problema... imagine em nossos dias, já que estamos bem longe dos autores do texto... Ainda bem que, como diz Milton Schwantes, "Deus também fala em português". Mas, de fato, uma coisa é certa: Traduttore, Traditore (Tradutor, Traidor).

Um comentário:

  1. Até que enfim mano! Gostei de um dos seus textos. Abraço! Jefferson

    ResponderExcluir