segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Três Frases, três visões que se unem (homenagem à turma)

Três frases: "quem é Deus?", "O mundo está em nós!" e "Se esperarem a mudança do mundo, se frustrarão". O mais incrível é que, ditas dessa forma, parecem não fazer parte de um mesmo assunto. Mas foram proferidas por três alunos em debate: Luiz Carlos Júnior, Valéria Macedo e Noemi Gomes, respectivamente.

Suas frases, ditas em calorosa "discussão", me chamaram muita atenção. Vou ordenar de acordo com o interesse da minha reflexão, óbvio que, com isso, tirarei do contexto algumas dessas frases.

Quem é Deus?

Sim... eu me pergunto, quem é Deus pra mim? quem é Deus para o outro? Certa vez perguntaram a Rubem Alves se ele acreditava em Deus, essa pergunta lhe rendeu um livro. Sua resposta foi simples: em qual Deus?

As pessoas criam seus deuses. Essa é a verdade. O Deus que servimos é exatamente o que somos, só que com poderes. Tudo aquilo que desejávamos ser, todas os limites que desejávamos transpor, transferimos para o nosso ídolo pessoal, que chamamos de "Deus".

Com isso eu ouso perguntar: quem é Deus? Quem pode responder essa pergunta de forma segura? Quem pode dizer que Deus é Pai, sem com isso lançar sua necessidade de ter uma boa figura de um Pai? Quem pode chamá-lo de Onipotente, sem estar dando a esse "deus" o seu próprio desejo por onipotência.

Quem é Deus? Precisamos de uma resposta que esteja para além das palavras humanas. Precisamos de uma resposta que sobrepuja todo o nosso desejo de ser divino.

A tradição das Escrituras (humana) fala de uma auto-revelação de Deus. Explora a idéia de que Deus se revela pelas coisas que criou. Com isso, quer dizer, que podemos responder um pouco dessa pergunta olhando tudo o que foi criado. E deve ser algo mais ou menos isso mesmo, pois há imagens indizíveis! Existem paisagens, beleza, harmonia e inteligência em toda a natureza.

Certa vez alguém disse: tudo o que falarmos de Deus não passará de uma imagem opaca do seu verdadeiro Eu.

Quem é Deus? Não podemos responder essa pergunta sem sermos partidários a nossa religião, a nosso pensar, enfim, a nós mesmos. Seria possível responder essa pergunta de forma livre? Seria possível dizer quem é Deus a partir dele mesmo? Acredito que não. E acredito que deva ser assim mesmo. Que justamente por não conseguirmos, conseguimos. Justamente por ser tão difícil, é tão fácil. E essa beleza misteriosa que intitulamos como Deus, é justamente o que o torna o que ele é: incógnita perfeita, mistério perfeito, amor imensurável, ser incapaz de compreensão, que não cabe em nada, mas preenche tudo.

Considerando que cada um traz em si uma resposta diferente para essa pergunta. Acredito que o ideal seja não procurar responder a pergunta, mas mergulhar-se no mistério que é esse Ser que não cabe em palavras, mas que deposita, dentro de nós, uma parcela de si mesmo.

Nessa perspectiva aparecerá a segunda frase:

O mundo está dentro de nós

A profundidade dessa frase me fez viajar. Num momento onde as pessoas acabam com a natureza e diminuem a atuacao dessa parcela divina, falada no texto anterior, essa frase me faz pensar como seriam as coisas se todos pensassem assim...

Vejo um discurso nas igrejas que afastam o mundo de nós. Não apenas o mundo como sistema (como no debate o Junior tentou expor), mas afastam o mundo mesmo. Essa criacao rica que devíamos chamar de nossa casa. O Leonardo Boff certa vez disse o seguinte que a palavra "humano" vem de "humus", que, assim, o ser humano é a própria terra que ganha consciencia, inteligência e se relaciona.

Fazemos parte dessa terra e ela faz parte de nós. Tal como temos em nós a parcela divina, e como Deus se revela em sua criacao, somos, também, parte dessa criação pela qual Deus se faz presente.

É um círculo onde tudo inicia e finaliza em Deus. Mas nao finaliza no sentido de fim, mas no sentido de finalidade! Deus é o princípio e o fim. Aquele pelo qual o mundo existe e a quem o mundo se destina.

Mundo esse, que temos dentro de nós. Que somos parte. Somos, portanto, originados de Deus, originados da Terra, destinados ao mundo, destinados a Deus.

Contudo, ao olhar para esse mundo, e ver o quanto ele sofre com o sistema. Não temos outra frase, se nao: 

Se esperarem a mudança do mundo, se frustrarão

De fato... não há esperança para o mundo. Isso é uma afirmação tão fatalista quanto real. Mas, diante dessa afirmação... ao passarmos por uma frase quem aponta para um Deus que é imensurável e que, ainda assim, está dentro de cada um de nós; Ao passarmos por outra que diz que o mundo, essa natureza, divina e material, está também dentro de cada um de nós, surge um problema: se não há  esperança para o mundo... não há esperança para o homem, nem esperança para Deus.

O mundo está em Deus, Deus está no mundo. O homem está em Deus (Jesus é homem!), Deus está no homem. O mundo está no homem, o homem está no mundo. Existe uma forte ligação entre Deus e sua criação, sua criação com ela mesma e ela com Deus. Se não há esperança para algum membro dessa ligação, então não há esperança para o corpo inteiro. Pois essa ligação estaria, diretamente, afetada.

Por isso triste, por isso deprimente. Por isso, perturbardora é essa frase. Mas eu percebo nela, algo que, talvez, a Noemi não tenha reparado: se ESPERARMOS a mudança do mundo.

Se esperarmos... já dizia o velho poeta: vem vamos embora que esperar não é fazer, quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Somos convidados por Deus a nos "por a caminho". A trilharmos um rumo. E não a nos mantermos nele. Não somos chamados a sermos expectadores da vida, porém, atores.

Nao esperemos a mudança do mundo. Mudemos nós mesmos. Mudemos nosso foco. Deixemos de nos perguntar "quem é Deus?" e passemos a viver esse "Deus desconhecido, que se faz conhecer". Olhemos para dentro de nós e encontremos a identificação com a natureza, com o mundo e com o próprio Deus. E, por fim, deixemos de esperar algo. Nao somos passivos no mundo, mas agentes. Se deixarmos de lutar, se deixarmos de fazer valer a pena, se deixarmos de ser "homens de fé, homens de coração de criança", então, ai sim... para o homem, para o mundo, para a criação e para Deus, não haverá esperança...

Um comentário:

  1. Muito boa a sua colocação Silvio, focamos um assunto que criou raizes mesmo!Obrigada professor!

    ResponderExcluir